Alergia

Alergia

A palavra alergia deriva do grego allos (outro) + ergia (ação, eficácia). Assim, quer dizer “ação diferente”. O ser humano está exposto a uma série de agentes (chamados de alérgenos) como, por exemplo, ácaros, fungos, insetos, alimentos e medicamentos que, em indivíduos geneticamente predispostos, podem desencadear uma resposta exagerada do sistema imunológico, também conhecida como hipersensibilidade. É como se o sistema imunológico considerasse o agente mais agressivo do que realmente é.

 

Herança genética é a base para ter alergia, mas é necessária a associação com fatores do ambiente. Portanto, se o pai e a mãe apresentam hipersensibilidade, a probabilidade de terem filhos alérgicos é de 75%. A doença alérgica pode manifestar-se em qualquer idade, pois vai variar conforme o ambiente em que a pessoa vive ou do momento em que se expõe a um determinado agente.

 

As doenças alérgicas são hoje um problema de saúde pública, pois ocorrem em cerca de 20-30% da população mundial. Dentre estas destacam-se: asma, rinite, conjuntivite, urticária, reações a medicamentos, alimentos, à picada de insetos, dermatites (contato, atópica), ao látex, laringite e anafilaxia.

 

A alergia é uma característica do indivíduo e NÃO se manifesta no primeiro contato com o alérgeno (ao contrário do que muitos pensam), mas sim em contatos subsequentes. Portanto, para você apresentar uma reação alérgica, por exemplo, à proteína do leite de vaca, é necessário que você tenha ingerido esse alimento uma primeira vez, estimulando a formação de anticorpos (o que chamamos de sensibilização). Assim, num próximo contato com o alérgeno, esses anticorpos já formados desencadearão uma reação alérgica. No entanto, para isso acontecer é preciso ter uma predisposição genética que leva a essa resposta exagerada/desequilibrada do organismo. Esse mecanismo ocorre igualmente para alergias a medicamentos, ácaros, insetos, pelos de animais e látex.

Entre em

Contato